Dilma pede cautela em processos de paralisações de obras

Agência Brasil

BRASÍLIA - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pediu hoje (30) cautela na paralisação de obras pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Segundo ela, as paralisações sistemáticas de obras de grande porte encarecem muito o empreendimento. Dilma disse também que nota um "descontentamento" de alguns setores com o tribunal.

"Tem que ter muita cautela nesse processo de paralisação de obras. Ao paralisar uma obra você está aumentando o custo dessa obra, por que tem o custo da desmobilização e o custo da remobilização", afirmou após participar da 3ª Conferência Nacional de Aquicultura e Pesca.

Ontem (29), o TCU divulgou relatório recomendando a paralisação de cerca de 40 obras federais com indícios de irregularidades, entre elas, obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Dilma disse que o governo não defende a redução da fiscalização feita pelo tribunal, mas quer discutir a questão das paralisações com o órgão. "É impossível você ter paralisações sistemáticas de obras de grande porte, por que os custos são muito grandes. Noto que há um descontentamento de alguns segmentos. O governo propriamente dito vai tratar desses assuntos, por que a ele chegam muitas falas nesse sentido. Mas não estamos, de jeito nenhum, querendo diminuir o nível de fiscalização".