Campanha na internet: Ayres Britto elogia veto de Lula à Lei Eleitoral

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ayres Britto, considerou providencial o veto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao dispositivo da nova Lei Eleitoral, aprovada pelo Congresso, que limitava a campanha eleitoral pela internet, inclusive os debates entre os candidatos. Para Britto, a liberação da internet que não poderia ser comparada às emissoras de rádio e televisão - vai vitalizar o processo eleitoral, unificar a cidadania, levar os jovens a uma participação maior na vida político-partidária e na eleição propriamente dita .

Contudo, o ministro lamentou que os vetos presidenciais não tenham atingido os artigos referentes à possibilidade do voto em trânsito na eleição presidencial (apenas nas capitais) e a exigência do voto impresso para garantir a recontagem de votos, quando necessária, a partir de 2014.

- Quanto ao voto em trânsito, vamos trabalhar para remover os obstáculos operacionais disse Ayres Britto. Vamos ter de fazer um cadastro por antecipação de quem estará fora de seu domicílio eleitoral e um sistema digital de rede, em que haverá uma maior exposição aos hackers .

O presidente do TSE considera um retrocesso a exigência de voto também impresso a partir das eleições de 2014.

- Esse tipo de voto onera financeiramente a eleição, emperra a operacionalização das impressoras e torna mais longas as filas de votação reclamou. - Seu mérito seria auditar com maior segurança a fidedignidade do voto eletrônico. Só que tal auditoria pode ser feita também eletronicamente, sem nenhum problema em termos de eficácia.