Médico acusado de pedofilia e prática de aborto é preso no PR

Portal Terra

CURITIBA - Uma força-tarefa do Ministério Público Federal e das policiais Civil e Militar do Paraná prendeu na manhã deste sábado um ginecologista acusado de estupro, prática de aborto e pedofilia. O operação, batizada de Hera, também fechou a clínica do médico, localizada na área central de Curitiba.

De acordo com as investigações do Ministério Público, iniciadas em julho deste ano depois de uma denúncia, o ginecologista recebia, geralmente após as 19h, adolescentes entre 12 e 17 anos para manter relações sexuais. Em troca, as meninas eram presenteadas com dinheiro e viagens.

Pelo menos duas vezes por semana, as menores eram levadas até o local, por uma outra mulher, que também teve a prisão decretada. Na manhã deste sábado, os policiais cumpriram nove mandados de busca e apreensão e de prisões temporárias, expedidas pela Justiça do Paraná. Duas auxiliares do médico na clínica também foram presas.

Conforme o Ministério Público, durante a operação, a força-tarefa localizou indícios de prática de abortos na clínica. Os investigadores supeitam que seriam realizados 15 procedimentos por mês há cerca de 10 anos.