Lula: duvido de interferência de Dilma em apuração a Sarney

Agência Brasil

DA REDAÇÃO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira duvidar que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, tenha interferido nas investigações de empresas da família Sarney. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, a ex-secretária da Receita Federal Lina Maria disse que a ministra pediu que fosse concluída rapidamente a investigação do órgão nas empresas ligadas ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A ex-secretária disse ter interpretado o pedido como um recado para encerrar a investigação.

"Quem construiu essa fantasia, essa história, em algum momento, vai ter que dizer que foi um ledo engano", afirmou. "Sem ter conversado com a Dilma sobre o assunto de ontem para hoje, duvido que a Dilma tenha mandado recado ou conversado com qualquer pessoa a esse respeito, não faz parte da formação política da Dilma", completou.

O presidente voltou a dizer que cabe ao Senado resolver a crise política gerada por uma série de denúncias de irregularidades envolvendo o presidente da Casa. "O Senado tem maioridade e tem instrumentos para fazer as investigações que entender que deva fazer e para apurar o que bem entender", afirmou o presidente em Quito, antes de embarcar para o Brasil.

"Não cabe a um presidente da República ficar dando palpite nas instâncias de investigação e de julgamento do Senado seria presunção demais da minha parte", disse Lula. No entanto, ressaltou o presidente, pessoas eleitas legitimamente não podem perder seus cargos a cada denúncia, sem conclusão do processo de investigação.

"Se a gente começar a atropelar os instrumentos democráticos que nós mesmos criamos, todos nós perdemos, essa é a minha lógica."