Lula defende Dilma contra Lina

Jornal do Brasil

QUITO - O presidente Luiz segunda-feira como uma fantasia e um ledo engano o pedido que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) teria feito à Receita Federal para agilizar as investigações contra as empresas da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Em entrevista em Quito, antes de retornar a Brasília, Lula disse que não conversou com Dilma sobre o assunto mas ressaltou que duvida que a ministra tenha mandado recado para alguém sobre o assunto.

Quem construiu essa fantasia, essa história, em algum momento vai ter que dizer que foi um ledo engano. Pode escrever a matéria e assim embaixo: 'erramos'. Porque não faz parte da personalidade da Dilma, e eu sem ter conversado com a Dilma sobre o assunto de segunda para terça-feira duvido que a Dilma tenha mandado um recado ou conversado com qualquer pessoa a esse respeito. Não faz parte da formação política da Dilma.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, publicada no domingo, a ex-secretaria da Receita Lina Maria Vieira disse ter sido chamada para um encontro a sós com Dilma em dezembro do ano passado. No encontro, a ministra teria pedido que a investigação fosse concluída rapidamente.

A ex-secretária diz ter interpretado o pedido como um recado para encerrar a investigação. Dilma Rousseff afirma que o encontro nunca ocorreu.

Esse encontro a que ela se refere não houve disse segunda-feira a ministra.

A oposição considerou graves as declarações da ex-secretária e pretende convocar as duas para depor no Congresso. Já os governistas minimizaram as declarações e colocaram dúvidas sobre a versão de Lina Vieira.

Senado

O presidente voltou a dizer que cabe aos senadores resolverem a crise no Senado devido às acusações contra Sarney. Segundo Lula, o Senado tem maioridade para realizar as investigações "que bem entender", pois não cabe ao presidente dar palpites sobre a crise na Casa.

A minha posição é clara: o Senado tem maioridade e instrumentos pra fazer as investigações que entender que deva fazer e para apurar do jeito que bem entender. Não cabe ao presidente da República ficar dando palpite nas instâncias de investigação e de julgamento do Senado. Seria presunção demais da minha parte. Eles têm mecanismos e que investiguem, que absolvam, que punam. Eles (os senadores). Não me peça minha opinião porque não teria como dar opinião sobre o que vai acontecer no Senado afirmou Lula. (Com agências)