Dilminha vai continuar a política do Lula, diz Paulo Bernardo

JB Online

SÃO PAULO - Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, deu o tom do discurso do governo na campanha eleitoral. ''A Dilminha vai continuar a política de Lula'', afirmou o ministro, referindo-se à virtual candidata governista, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Bernardo integra um grupo próximo a ela, chamado 'os meigos de Dilma'. Profundo conhecedor do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), é cotado para substituir a ministra, caso ela deixe o governo para concorrer, segundo o Estado.

Para ele, a oposição está sem discurso e as recorrentes críticas à gastança do governo, na visão do ministro, não surtem efeito algum.

- O Lulinha, aonde vai, dizem que ele está certo. Aqui dentro e lá fora - acrescentou. Sobre o provável candidato da oposição, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), o ministro diz que ele 'joga para a galera' quando critica a política de juros e câmbio.

INdagado pelo jornal se o presidente Lula iria deixar uma herança maldita ao sucessor, Bernardo respondeu: 'Acho que a herança que vamos deixar para o próximo governo é uma economia crescendo, com inflação controlada, com investimentos, tanto internos quanto externos, crescendo muito. Podemos pensar que vai ter uma disparada do investimento nos próximos meses'.