CPI investiga prefeito suspeito de abusar de crianças no Piauí

Yala Sena, Portal Terra

TERESINA - A CPI da Pedofilia está no Piauí para apurar denúncias de abusos sexuais contra duas crianças, uma de oito anos e outra de 11, supostamente praticados pelo prefeito de Sebastião Barros, no Piauí, Geraldo Eustáquio Machado, conhecido como Geraldo Mineiro, do PT.

Após dez horas de depoimentos, os senadores Magno Malta (PR-ES) e José Nery (Psol-PA) encerraram no município de Corrente, a 874 quilômetros de Teresina, a coleta de informações sobre a denúncias. Sete pessoas foram ouvidas na CPI.

O principal acusado, o prefeito, não compareceu a CPI, alegando em atestado médico que sofreu um acidente de trânsito há dois meses e estava sem condições de deslocamento até Corrente. A CPI não se conformou com a desculpa e ordenou uma convocação coercitiva e pediu que a Polícia Federal localizasse o prefeito. Após exames médicos, o prefeito foi dispensado e a CPI vai ouvi-lo em agosto, após o recesso parlamentar.

A denúncia

No mês passado, o presidente da Câmara dos Vereadores de Corrente, Raimundo Augusto Vieira, o Gutão, do PMDB, fez, pessoalmente, uma denúncia ao senador Magno Malta. De acordo com ele, sua filha de oito anos, que é portadora de leucemia, teria sido abusada pelo prefeito Geraldo Mineiro.

A criança, segundo o vereador, foi supostamente molestada quando era levada pelo prefeito em um carro para tratamento de saúde em Teresina. A outra garota de 11 anos teria sido molestada pelo mesmo prefeito.

Os relatos dos pais das duas crianças reafirmam a denúncia. A psicóloga Tatiana Hatz, que foi ao Piauí junto com a CPI, ouviu as duas garotas e afirmou que as meninas estão traumatizadas e há sinais de abusos sexuais, de acordo com seus comportamentos.

O senador José Nery lamentou a ausência do prefeito.

- Infelizmente, nós ouvimos apenas familiares das vítimas porque o principal acusado dos fatos não compareceu para prestar depoimento, alegando estar com problemas de saúde. Ele foi instado a participar, mas o médico que o atendeu afirma que ele necessita de repouso. Neste caso, somos obrigados a reconvocá-lo para que ele preste depoimento no Senado Federal, no início do mês de agosto - declarou José Nery.

O advogado do prefeito, Nazareno Thé, nega os abusos e garante que comprovará a inocência do seu cliente.