Veto do Senado a diretor da ANA não afeta ações da agência

Agência Brasil

BRASÍLIA - A rejeição do Senado ao nome de Bruno Pagnoccheschi para mais um mandato como diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) não trará consequências administrativas ao órgão. A informação é do presidente da Comissão de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Renato Casagrande (PSB-ES). - Outros diretores que estão efetivados dão conta do serviço. Nós demos um azar danado porque na hora da votação do nome chegou a notícia do "pizzaiolo", referência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos senadores, e daí deu no que deu - disse Casagrande.

Agora, caberá ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviar ao Senado a indicação de outro nome para o cargo. Casagrande acredita que isso pode ser feito logo após o recesso, em agosto. A mensagem presidencial terá que cumprir o rito burocrático de sabatina e aprovação do nome indicado pela Comissão de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia para, em seguida, ser submetida ao plenário do Senado.

O nome de Bruno Pagnoccheschi foi rejeitado por 30 votos a 20, numa reação dos senadores de oposição às declarações de Lula.