Oposição pode pedir saída do presidente do Conselho de Ética

Portal Terra

BRASÍLIA - O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM) disse que pode pedir a substituição do presidente do Conselho de Ética se houver antecipação do julgamento em relação aos processos contra o senador José Sarney (PMDB-AP).

O senador Paulo Duque (PMDB-RJ) disse, pouco depois de ser eleito no comando do colegiado, que considera bobagem a discussão sobre atos secretos. Escolhido por ser fiel aliado do líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), Duque disse também que nomeação de parentes é bobagem, admitindo que já contratou mais de cinco mil pessoas e entre elas havia familiares. O último mandato de Paulo Duque terminou em 1998, como deputado estadual no Rio.

- O presidente Paulo Duque tem que se acostumar a não dizer bobagens. É o caso de pedir a substituição dele, alguém que está dizendo, como juiz, que antes de ler já julga que é tolice o que vai ser julgado não é talvez o juiz mais isento - disse o tucano Arthur Virgílio.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) também estuda uma medida jurídica para afastar o presidente do Conselho de Ética. - O presidente do conselho é tão ético que vai para lá dizer que vai proteger o Sarney, com todas as letras. O conselho deixou de ser ético e seu papel é colocar panos quentes - disse.

O líder tucano Arthur Virgílio disse que já está preparando artilharia jurídica para tentar reverter possíveis manobras de proteção ao senador Sarney no Conselho de Ética. - Nós vamos ter dias tumultuados ali. Avisei que nós estamos preparados política e burocraticamente para defender nossa posição nesse episódio - disse.