Força especial fará combate a tráfico na tríplice fronteira

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Polícia Federal passa a ter dois reforços para combater o tráfico de drogas e de armas na tríplice fronteira - Brasil, Paraguai e Argentina. A primeira é a nova Força Alfa - Companhia Independente de Polícia Fronteira, lançada hoje, em Guaíra.

O superintendente da Polícia Federal no Paraná, Maurício Leite Valeixo, assina hoje um acordo com o governo do estado para compor a Força Alfa, lançada em Guaíra, pelo governador Roberto Requião, pelo secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari e pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anselmo José de Oliveira.

Inicialmente, vão trabalhar em caráter permanente 60 policiais que usarão uniforme especial de selva, para atuar em área de mata e nas margens de rios. Em períodos temporários, mais 100 policiais da Companhia de Polícia de Choque também vão compor a Força Alfa.

De acordo com a assessoria do governo do estado, foram enviados a Guaíra equipamentos próprios para o trabalho de combate ao tráfico de armas e de drogas na região de fronteira, como helicóptero, barcos, caminhonetes e armamento.

O Comando-Geral da Polícia Militar definirá as operações que poderão ser terrestres, aéreas e aquáticas.

A outra ferramenta é uma aeronave não tripulada (Vant), de fabricação israelense, que foi comprada pela Polícia Federal. Segundo Valeixo, será a primeira vez no mundo que a polícia usará um avião Vant para combater este tipo de crime, realizando um serviço de Inteligência.

- O avião é usado normalmente por forças militares, inclusive para lançamento de mísseis - disse. O equipamento tem cerca de 10 metros de envergadura e autonomia de voo de mais de 20 horas, é controlado remotamente por uma base em terra e está equipado com potentes câmaras fotográficas e de vídeo capazes de registrar a grandes distâncias o movimento de veículos e de pedestres.

Essas informações são repassadas em tempo real para os policiais que estão na base. Foram treinados inicialmente 20 policiais para atuar na base de São Miguel do Iguaçu.

O aparelho ainda está em fase de testes, sem uma data final para que sejam concluídos, mas um voo experimental deve ser feito nas próximas horas.