Em Congresso, estudantes cantam coros para Lula, Dilma e Ciro

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Cerca de três mil estudantes aproveitaram o 51º Congresso da União Nacional dos Estudantes, iniciado em Brasília ontem, para defender as candidaturas à Presidência da República da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), e do deputado Ciro Gomes (PSB-CE). Para Dilma, parte dos estudantes cantavam: Olé, Olá, Dilma, Dilma . Na sequência, outro grupo reagia em favor de Ciro: Urgente, Ciro presidente .

A ministra é pré-candidata a presidente pelo PT. Ciro, que já concorreu à Presidência e também lançou seu nome para 2010, estuda agora disputar o governo de São Paulo. Para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também presente na abertura do congresso, os estudantes entoaram: Lula guerreiro do povo brasileiro . Com algumas poucas reivindicações e vários elogios, os estudantes deixaram claro de que lado estão. Ovacionado ao se levantar para fazer seu discurso, o presidente chegou a pedir que parassem:

Vocês vieram aqui para trabalhar ou para gritar? brincou.

O presidente Lula é o primeiro presidente brasileiro a participar de um congresso da UNE em 71 anos de história destacou a presidente da entidade, Lucia Stumpf, ligada ao PCdoB. Não há registros, no entanto, de outro presidente que tenha sido convidado além de Lula. Lula e o secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci, foram convidados a pôr a mão no gesso que ficará exposto na nova sede da UNE, no Rio de Janeiro. Como Lula e Dulci demoraram muito, o gesso endureceu e os dois tiveram dificuldades para tirar a mão da massa. O imóvel será levantado no mesmo local onde funcionou a primeira sede da entidade, mas que foi incendiado durante a ditadura militar.

Lula se emocionou e quase chorou durante parte do encontro reservada aos estudantes do Programa Universidade para Todos. Ao falar do programa Luz para Todos , que leva energia para áreas rurais e carentes, Lula embargou a voz e parou seu discurso para beber água quando lembrava da história de uma beneficiária do programa.

Eu peguei o dedo dela e coloquei no interruptor. Quando a luz acendeu, ela me disse: é a primeira vez que eu vejo meu filho dormir disse antes de interromper a fala. O presidente também elogiou o programa Bolsa-Família. Eu lembro de uma mãe que cortava um lápis ao meio para dar para os dois filhos e que depois de receber o Bolsa Família passou a comprar uma caixa de lápis para cada um.

O presidente ainda reforçou o esforço de implantar o programa de bolsas estudantis.

Quando decidimos criá-lo, sofremos resistência. Diziam que o governo estava passando dinheiro para escolas particulares. Nós sabemos o quanto foi importante a gente construir na área da educação o que estamos colhendo completou.