UNE é homenageada em sessão solene na Câmara

Agência Brasil

BRASÍLIA - Para comemorar os 30 anos da reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE), uma sessão na Câmara dos Deputados reuniu hoje integrantes e ex-dirigentes da entidade. Foi em 1979 que a UNE voltou à legalidade após ter sido perseguida e considerada uma organização clandestina durante a ditadura militar.

- Quando a gente pensa que a UNE foi reconstruída, é preciso pensar no ciclo democrático que permitiu que a UNE deixasse legalmente de existir. O que fez com que a UNE fosse posta na ilegalidade na ditadura militar é também o que mantém a UNE atual: a luta pela educação, pela democracia e pela liberdade - afirmou a deputada Manuela d''Ávila (PCdoB-RS). A cerimônia foi solicitada por ela e pela deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

O deputado Marco Maia (PT-RS), que presidiu a sessão, lembrou da participação do movimento estudantil em importantes momentos políticos do Brasil, desde o período militar até o impeachment do ex-presidente Collor.

A partir de amanhã começa em Brasília o 51° Congresso Nacional da UNE (Conune), que pretende reunir cerca de 10 mil participantes durante quatro dias de discussões. Ao final do evento será escolhida a nova diretoria da entidade.