Associação do 447 é oficializada e cobra empenho em apuração

Daniel Gonçalves, Portal Terra

RIO DE JANEIRO - Representantes da Associação de Parentes de Vítimas do Vôo 447 da Air France informaram nesta quarta-feira que pretendem entrar com um pedido no Ministério Público e na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para cobrar mais empenho das autoridades brasileiras nas investigações sobre o acidente. O Airbus A330 da companhia francesa caiu no oceano Atlântico no dia 31 de maio com 228 pessoas a bordo.

A associação foi oficializada nesta quarta-feira no hotel Guanabara, centro do Rio de Janeiro. O grupo conta com 23 associados, que representam as famílias dos brasileiros que estavam a bordo do avião.

Segundo o diretor executivo da associação, Maarten Van Sluys, um dos objetivos é também manter contato com outras associações, criadas na França e na Alemanha pelos familiares dos passageiros estrangeiros que estavam no voo, além de discutir medidas imediatas para que não aconteçam outras tragédias parecidas.

"Nós estamos buscando não só mais informações sobre o acidente, como também queremos buscar um melhor atendimento e apoio para as famílias e mais transparência nas informações", afirmou Van Sluys.

O diretor disse ainda que a associação pretende conseguir do governo mais velocidade na liberação de atestados de morte presumida. Os familiares de passageiros que quiserem fazer parte do grupo podem entrar em contato com o e-mail [email protected]

O acidente:

O Airbus A330 saiu do Rio de Janeiro com 228 pessoas a bordo no domingo, às 19h (horário de Brasília), e deveria chegar ao aeroporto Roissy - Charles de Gaulle de Paris no dia 1º às 11h10 locais (6h10 de Brasília).

De acordo com nota divulgada pela FAB, às 22h33 (horário de Brasília) o voo fez o último contato via rádio com o Centro de Controle de Área Atlântico (Cindacta III). O comandante informou que, às 23h20, ingressaria no espaço aéreo de Dakar, no Senegal.

Às 22h48 (horário de Brasília) a aeronave saiu da cobertura radar do Cindacta, segundo a FAB. Antes disso, no entanto, a aeronave voava normalmente a 35 mil pés (11 km) de altitude.

A Air France informou que o Airbus entrou em uma zona de tempestade às 2h GMT (23h de Brasília) e enviou uma mensagem automática de falha no circuito elétrico às 2h14 GMT (23h14 de Brasília). A equipe de resgate da FAB foi acionada às 2h30 (horário de Brasília).