DF: Ex-médico é condenado a 30 anos por morte de pacientes

Portal Terra

SÃO PAULO - O ex-médico Denísio Marcelo Caron foi condenado pela Justiça do Distrito Federal a 30 anos de prisão pela morte de cinco pacientes durante cirurgias plásticas, segundo informou a Globonews nesta quarta-feira. Ele ainda não foi preso e pode recorrer da decisão até que se esgotem todas as possibilidades de recurso.

No fim do mês passado, Caron ajuizou ação cautelar no Supremo Tribunal Federal (STF) contra ato do presidente do Tribunal do Júri de Taguatinga, no Distrito Federal, na tentativa de suspender seu julgamento.

Em abril, Caron foi condenado a oito anos de prisão em regime semi-aberto pela morte da advogada Janet Virgínia Novais Falleiro. Ela morreu em 14 de janeiro de 2001, após a realização de uma lipoescultura com o médico, em 5 de janeiro de 2001, no Hospital e Maternidade Vida, no Setor Marista, região sul de Goiânia.

Além da pena, ele foi condenado a pagar indenização de R$ 30 mil à família da vítima. Caron pode recorrer da condenação em liberdade.