Polícia do Senado abre inquérito contra ex-diretor Agaciel Maia

Agência Senado

BRASÍLIA - A Polícia Legislativa do Senado abriu inquérito policial para apurar denúncia de que o ex-diretor-geral da Casa Agaciel Maia nomeou uma funcionária para o gabinete do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) mediante ato secreto. A investigação teve início a pedido do próprio senador, que disse não ter conhecimento do ato secreto.

Para Demóstenes, o ato configura improbidade administrativa e Agaciel deve ser penalmente responsabilizado.

A Polícia Legislativa informou, em nota, que, "pela gravidade das denúncias e por se tratar, em tese, de fato típico ocorrido nas dependências do Senado Federal, a Polícia Legislativa já iniciou a intimação dos envolvidos para serem ouvidos no inquérito policial".

Duas testemunhas arroladas por Demóstenes devem prestar depoimento nesta terça-feira. Na quarta-feira, serão ouvidos a funcionária nomeada por ato secreto Liz Raquel Monturil Vaz de Souza e seu pai, Valdeck Vaz de Souza. Na quinta, está previsto para as 16h o depoimento de Agaciel Maia.

O ex-diretor Agaciel Maia licenciou-se na última quinta-feira, por um período de 90 dias. No pedido de licença, ele diz que esse afastamento se faz necessário para a preparação de sua defesa. Diz também que permanecerá à disposição do Senado para quaisquer esclarecimentos.