Famílias de vítimas do vôo 3054 da TAM cobram respostas da Defesa

Bruno Bochini, Agência Brasil

BRASÍLIA - Parentes das vítimas do vôo TAM 3054 distribuíram neste domingo, um manifesto cobrando respostas do Ministério da Defesa sobre segurança no transporte aéreo brasileiro. Eles também reivindicam a divulgação do relatório final do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa), já concluído.

O acidente ocorreu em julho de 2007, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e deixou 199 mortos, entre os ocupantes do avião (todos morreram) e pessoas que estavam em terra, quando o aparelho se chocou com um hangar da empresa, durante a aterrissagem.

Desde fevereiro de 2008 aguardamos respostas a várias questões apresentadas ao Ministério da Defesa: Por que alguns aeroportos não seguem as normas internacionais de segurança propostas pela OACI (Organização da Aviação Civil Internacional), entre eles, Congonhas? , diz o texto do manifesto da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do vôo TAM JJ 3054 (Afavitam).

"Por que os investimentos feitos no setor deram prioridade às lojas de conveniência, aos estacionamentos e ao embelezamento das salas de espera, ao invés de priorizar os investimentos em segurança e modernização dos equipamentos que garantem um eficiente controle do tráfego aéreo? , questiona o manifesto.

A reportagem não conseguiu contato neste domingo com a Assessoria de Imprensa do Ministério da Defesa, para falar sobre o assunto.