Servidores são afastados após atendimento a gato em hospital

Portal Terra

FLORIANÓPOLIS - O atendimento a um gato persa dentro de uma sala de emergência de um hospital municipal de Campos Novos, cidade localizada a cerca de 350 km de Florianópolis (SC), causou o afastamento de cinco servidores públicos.

O caso ocorreu no início da noite de quarta-feira. Um médico, uma veterinária e três auxiliares de enfermagem foram suspensos do trabalho enquanto o caso é investigado.

O atendimento causou muita polêmica na cidade pelo fato da proprietária do gato ser uma veterinária lotada no setor de Vigilância Sanitária do município.

Maria Angélica Soares, proprietária do felino "Guilherme", o encaminhou ao pronto-socorro quando o animal apresentava uma crise respiratória. Ele chegou a ser atendido numa maca e usar um tubo de oxigênio, acompanhado por um médico e três enfermeiras.

Apesar do socorro, o gato não resistiu e morreu, pouco depois de deixar o hospital. O atendimento foi fotografado por uma funcionária e disponibilizado na internet.

A prefeitura municipal informou que três sindicâncias foram abertas para apurar o caso e que tanto o médico quanto as auxiliares que participaram do atendimento poderão ser punidos. A veterinária foi afastada das funções na Vigilância Sanitária.

A diretora do hospital, Marliese Mecabô, instaurou um processo administrativo interno e interditou a sala de emergência onde ocorreu o atendimento, após uma desinfecção. O nome do médico e das enfermeiras afastadas não foi divulgado.