Simon quer Plenário decidindo sobre questões políticas

Agência Senado

BRASÍLIA - O senador Pedro Simon (PMDB-RS) propôs nesta sexta-feira, em entrevista, que questões administrativas e políticas sejam decididas por todos os senadores em Plenário, uma vez a cada mês.

- Não tem presidente, não tem Mesa, nem diretor-geral. As decisões que afetam a Casa, bem como os 81 senadores, precisam ser tomadas em conjunto. Mesmo quem é assíduo é surpreendido por propostas que surgem, como construção de um novo anexo, de um túnel ligando o Congresso ao Palácio do Planalto, que, quando vêm a público, não são de ninguém. Como está, não dá para continuar - protestou.

Simon fez questão de dizer que não está advogando a renúncia do presidente da Casa, José Sarney, ou seu afastamento definitivo da presidência. Para ele, os acontecimentos possuem uma dinâmica própria e os 81 senadores saberão encontrar uma saída que preserve a ética do Senado e afaste ideias que estariam surgindo na opinião pública, de extinguir o Senado ou transformá-lo "numa Casa dos Lordes", sem poder efetivo.

Mas o senador voltou a afirmar que a melhor solução é que o presidente do Senado, José Sarney, "se afaste por alguns meses", para que o conjunto de senadores possa se reunir para encaminhar uma solução. Ele disse sentir, de todos e de cada um, uma vontade de chegar a um acordo, como aconteceu em crises anteriores. De acordo com o parlamentar, "Sarney está visivelmente cansado e seu afastamento seria a melhor solução para ele, para sua família e, sobretudo, para o Senado".