MPF denuncia 18 por suposto esquema de favorecimento em RO

Agência Brasil

DA REDAÇÃO - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça Federal 18 suspeitos que foram investigados durante a Operação Abate, da Polícia Federal (PF), em Rondônia. Segundo o MPF, os suspeitos participavam de uma organização que envolvia a Superintendência Federal de Agricultura em Rondônia (SFA), órgão regional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que favorecia frigoríficos, empresas de laticínios e curtumes. Entre os denunciados está Orimar Martins da Silva, superintendente do SFA.

O grupo favoreceria os beneficiados na fiscalização e ainda seria responsável por sumir com documentos contrários aos das empresas que participariam do esquema. De acordo com o MPF, entre as irregularidades praticadas pelos beneficiados e ocultadas pelo esquema, está o aumento do peso da carne com o acréscimo de água pelo frigorífico JBS Friboi, de Porto Velho.

Nas empresas de laticínio, amostras de queijo teriam sido colhidas antes das datas dos testes, para assegurar que o produto estivesse higienizado e fosse aprovado. Um curtume teria recebido aprovação para funcionar de forma ilícita.

O MPF afirmou também que um dos servidores da superintendência chegou a receber mais de R$ 368 mil nos anos de 2007 e 2008 pela participação no grupo.