Festival Folclórico de Parintins impulsiona economia municipal

Amanda Mota , Agência Brasil

PARINTINS, AMAZONAS - Nem a atual crise econômica mundial nem as enchentes que abalaram a vida de milhares de pessoas em todo o Amazonas nesses primeiros seis meses do ano impediram a realização da 44ª edição do Festival de Parintins. O espetáculo que todos os anos leva para a cidade que dá nome ao evento pelo menos 50 mil turistas até ganhou este ano mais um patrocinador. Em 2009, para promover o novo festival, os bois Garantido e Caprichoso terão cerca de R$ 11,5 milhões.

Segundo o Secretário de Finanças de Parintins, Telo Pinto, o festival tem atualmente cinco patrocinadores oficiais, entre eles o governo estadual. Em entrevista à Agência Brasil, ele declarou que a economia da cidade recebe influência direta do evento e que as ações governamentais em infraestrutura e turismo, por exemplo, são voltadas para a promoção da festa.

- O festival impulsiona a economia de Parintins. Mesmo fora da época do evento, os investimentos feitos na cidade, incluindo infraestrutura e outras melhorias, são sempre pensados a partir desse evento. O Festival de Parintins é o grande pulsor econômico do município e tudo gira em torno dessa grande festa - afirmou.

Ainda de acordo com o secretário, a arrecadação anual do município é de, aproximadamente, R$ 65 milhões. Desse total, avaliou, até R$ 30 milhões, incluindo patrocínios e movimentação financeira gerada pela permanência dos turistas, podem ser arrecadados no período do Festival Folclórico de Parintins.

- O investimento geral no festival, incluindo os patrocínios e os incentivos governamentais, ficam em torno de R$ 20 a R$ 30 milhões - revelou.

A importância econômica do evento também pode ser comprovada pelo número de turistas que participam anualmente da programação. Este ano, a expectativa é receber 70 mil pessoas, que se somarão aos cerca de 115 mil habitantes de Parintins. O aeroporto local, que recebe em média 20 voos semanais, terá esse número ampliado para cerca de 200 voos no período da festa. Partindo de Manaus, os preços para ida e volta variam de R$ 200 a R$ 690.

- Esses quase 180 voos a mais na semana do festival são de companhias regulares. Além desses, têm também as aeronaves fretadas e os táxis aéreos e, por isso, o volume de voos aumenta pelo menos dez vezes neste período - disse o administrador do aeroporto de Parintins, Jean Rodrigues.

No porto da cidade, onde as águas do Rio Amazonas continuam ocupando níveis maiores do que o comum, a movimentação de turistas também se intensifica na semana do festival. Dados do Serviço Geológico do Brasil apontam que a cheia de 2009 é a maior que Parintins já viu desde 1976. Ainda assim, segundo a Capitania dos Portos, aproximadamente 70 barcos, com média de 100 passageiros cada, já atracaram no porto.

Para o condutor de triciclo Zenildo Batista, o período é fundamental para arrecadar uma renda extra. Há 15 anos ele exerce essa profissão e diz que a movimentação intensa de pessoas na cidade proporciona um movimento exclusivo, nesta época do ano, para os comerciantes da cidade. Em Parintins, os triciclos são, ao lado dos mototáxis, as opções mais populares de transporte.

- O que a gente arrecada no período do festival equivale ao nosso 13º salário - considerou.

Para assistir ao embate folclórico do Festival de Parintins, as opções são as arquibancadas quase 20 mil lugares destinados aos não-pagantes; as arquibancadas especiais que custam R$ 480; as cadeiras especiais, cujo valor é R$ 350. Os valores são por pessoa e vale para as três noites da apresentação. Os camarotes, para dez pessoas, custam R$ 8,4 mil.

A abertura deste ano, marcada para esta sexta-feira, será feita pelo boi Caprichoso, conforme sorteio realizado pelos organizadores. Já para o segundo e o terceiro dia, a abertura será feita pelo boi vermelho, Garantido.