Senador defende neto e se diz vítima de campanha midiática

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Em nota divulgada nesta quinta-feira, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que existe uma campanha midiática contra sua permanência no comando da Casa. Sarney explicou que seu neto, José Adriano Sarney, tem qualificação profissional para intermediar empréstimos consignados entre instituições bancárias e servidores do Senado.

As explicações do meu neto, pessoa extremamente qualificada com mestrado na Sorbonne e doutorado em Havard, são suficientes para mostrar a verdadeira face de uma campanha midiática para atingir-me na qual não excluo a minha posição política, nunca ocultada, de apoio ao presidente Lula e seu governo , justificou-se.

Os líderes da oposição defenderam nesta quinta-feira Sarney permaneça no comando da instituição, mas se afaste das decisões referentes aos processos que investigam irregularidades na Casa. Segundo senadores do PSDB e do DEM, a descoberta envolvendo o neto de Sarney impede o peemedebista de continuar à frente das apurações. Para o líder do PSDB, Arthur Virgílo (AM), as investigações são delicadas e precisam de credibilidade para restaurar a credibilidade da instituição.

São denúncias graves. A sugestão que o PSDB faz, a bem da instituição (Senado), é de que ele (Sarney) se afaste da apuração dos casos envolvendo seu nome ou de pessoas de sua família, bem como dos processos destinados a apurar responsabilidades dos ex-diretores (do Senado) disse o tucano.

O discurso foi reforçado pelo senador Demostenes Torres (DEM-PI), que disse que os processos deveriam ser submetidos ao vice-presidente do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO). O DEM se reúne na terça-feira para fechar um posicionamento sobre a situação de Sarney.

O partido vai se reunir para decidir se é o caso também para pedir que ele se licencie da presidência ou até mesmo chegar a exigir providências mais graves. Vai depender da análise que faremos revelou Torres.

Solidariedade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a demonstrar solidariedade a Sarney nesta quinta-feira. Lula afirmou que o peemedebista deve permanecer no cargo, mas tem o compromisso de apurar as denúncias que pesam contra a Casa e contra ele próprio.