Senadores pedem demissão de diretor e reforma administrativa a Sarney

JB Online

DA REDAÇÃO - Após a série de denúncias e polêmica envolvendo o senado e o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), os senadores resolveram agir. Nesta quarta-feira, os membros do Senado foram até o senador José Sarney para pedir a demissão do diretor-geral Alexandre Gazineo. Além disso, os políticos pedem a adoção de outras medida, o que geraria uma reforma administrativa na Casa, segundo eles. O diretor do Senado - Gazineo - substituiu Agaciel Maia, que deixou o cargo depois de uma denúncia de que ter uma mansão de R$ 5 milhões em seu nome que não estaria em sua declaração de renda.

Pela "reforma administrativa", se uniram senadores do PSDB, PT, PMDB, PSB, PDT, entre outros. Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi o responsável pelo pedido de demissão ao diretor Gazineo. O parlamentar quer que eleição direta do novo diretor em uma semana. O grupo também pede que os candidatos passem por uma sabatina e que todos apresentem uma proposta de reforma administrativa da Casa. Entre as medidas, estão o "enxugamento" da máquina do Senado e outras substituições em outros cargos. Tasso defende que o novo diretor tenha metas e que o Senado só admita uma reeleição na direção da Casa.

Por enquanto, o diretor Alexandre Gazineo não se manifestou sobre o pedido de demissão feito pelos outros senadores. Sarney também não mencionou Gazineo, mas concorda com a ideia de eleições para diretor-geral do Senado. Na próxima terça, será discutida essa e outras propostas, como a de um pedido de investigação externa (pode ser por auditoria ou via Polícia Federal) sobre os atos secretos, além da revisão de benefícios dos parlamentares para exercício do mandato.