Dilma diz que governo não herdou nem mesmo planos de obras

Dahiana Araújo, Portal Terra

FORTALEZA - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse que o Brasil não "herdou" nem mesmo planos dos governos anteriores e, por isso, somente agora, com a estruturação do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), é que muitas obras estão sendo realizadas. "Se em 2007 tivesse obra no papel, o PAC seria outro", destacou Dilma.

A ministra deu entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, em Fortaleza (CE), depois de reunir-se com ministros e secretários, além do governador do Estado, Cid Gomes (PSB-CE), em uma espécie de prestação de contas das obras do PAC no Ceará.

Ela rebateu questionamentos sobre a postura publicitária que o PAC daria ao PT. Segundo Dilma Rousseff, essas críticas são mais que ladainha.

- É pior que isso. Não se faz críticas considerando a situação do Brasil, mas como se estivéssemos na Suíça - contestou.

Dilma se posicionou de forma otimista em relação ao fim da crise no País e ao crescimento econômico que, segundo ela, será retomado no Brasil até o final do ano que vem.

- Até 2010, o Brasil voltará a crescer - garantiu.

Cautelosa em relação a perguntas referentes à sucessão presidencial, a ministra garantiu que o legado do governo Lula vai além das obras do PAC.

- O Brasil tem muito mais para mostrar. Além do PAC, temos vários outros projetos - ressaltou. - Acho que o legado do do presidente Lula é que somos o governo que, nos últimos 25 anos, retomou o investimento.

Questionada se a crise no Senado Federal poderia atrapalhar alguns projetos do governo, Dilma preferiu não tocar no assunto.

- Na questão do Congresso eu passo. A minha entrevista diz respeito ao Executivo - afirmou. - A avaliação sobre a situação do Congresso eu diria que não é uma matéria da Presidência da República.

Dilma assegurou que o Brasil não "quebrou" no atual governo porque possui reservas, o que, segundo ela, não ocorria nas gestões anteriores.

- Não temos nada a ver com o País de 2002, que quebrava. Hoje temos fôlego para investir - enfatizou a ministra, lembrando que o Brasil fez investimentos em vários projetos "em plena crise".

Apesar das quedas na arrecadação de impostos e contribuições federais, Dilma destacou o pique que o Brasil possui no momento em que vários países se fecham diante do colapso financeiro.

- Antes, quando vinha a crise, o Brasil tinha que cortar, mas agora não precisamos de cortes porque não quebramos, pois temos reservas - ressaltou.

PAC no Ceará

O balanço apresentado por Dilma sobre as obras do PAC no Ceará apontou um total de 18% em obras concluídas no Estado. Ao todo, R$ 24,2 bilhões serão investidos até 2010 no Ceará. Depois disso, outros R$ 23,3 bilhões também serão destinados ao Estado.

Dentre as obras contempladas pelo PAC no Ceará, está a conclusão do Terminal de GNL, no Pecém, e do Programa Luz Para Todos, que leva energia a vários municípios do Estado. Entre as obras previstas, está a conclusão do metrô da capital, Metrofor, a revitalização de áreas de risco e a construção de uma refinaria de petróleo.

Pela manhã, Dilma assinou o acordo de cooperação que institui no Estado o programa Minha Casa, Minha Vida, que vai possibilitar a construção de 51 mil casas. À tarde, a ministra também deu partida em negociações para a construção da siderúrgica do Ceará.