CPI da Petrobras fica para depois das festas juninas

Portal Terra

BRASÍLIA - Um acordo informal fechado entre líderes governistas e da oposição na noite de terça-feira estabelece que a CPI da Petrobras será instalada no dia 30 de junho, depois do período de festas juninas no Nordeste do país, que ocorre semana que vem.

Os senadores avaliam que, como na semana que vem o Congresso estará vazio por causa das festividades, o melhor é deixar para iniciar a comissão na outra semana. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que encabeçou a criação da CPI, afirmou não ver problema em se adiar a instalação da comissão desde que a base se comprometa a comparecer.

O senador disse não se incomodar em atrasar os trabalhos por causa da festa junina já que essa é uma "tradição" da Casa. - Semana que vem não haverá quorum porque o pessoal vai pra festa junina. Não vejo problema, até porque semana que vem a gente já sabe que é uma tradição na Casa. Chegou a época de festa junina, os nordestinos vão pra lá. Não vejo problema, desde que fique o compromisso irreversível de instalar no dia 30 - disse.

A informação que circula é de que o entendimento teria sido aceito pela base desde que fosse resolvido o problema da relatoria da CPI das ONGs. Isso porque a relatoria desta comissão acabou ficando com o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), e os governistas só aceitam iniciar a CPI da Petrobras se o cargo for devolvido para a base.

Mas como o presidente da CPI das ONGs, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), se recupera de uma cirurgia de redução de estômago, essa negociação deverá ficar para a semana que vem.

Segundo Álvaro Dias, pelo menos os líderes estarão no Congresso na semana que vem para definir a questão da CPI das ONGs para que na outra semana a CPI da Petrobras seja instalada.