Minc diz que vai esclarecer participação na marcha da maconha

Luana Lourenço , Agência Brasil

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse que irá nesta terça-feira com alegria e satisfação à Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados para esclarecer sua participação na marcha da maconha, realizada no início de maio no Rio de Janeiro.

Minc afirmou que sua posição, de crítica à atual política antidrogas do país, é a mesma do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e de oito ministros do atual governo.

- Irei com alegria e satisfação esclarecer minha posição sobre esse problema, que aliás é muito parecida com a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do governador Sérgio Cabral e de oito ministros, que acham que a questão de droga deve ser tratada como uma questão de informação, prevenção e saúde pública - afirmou nesta segunda-feira.

Para o autor do requerimento da convocação, deputado Laerte Bessa (PMDB-DF), o ministro fez apologia das drogas ao participar do evento. Minc disse que em nenhum momento propôs o descumprimento de nenhuma lei em vigor no país, mas defendeu o que chamou de aperfeiçoamento das regras.

- Queremos discutir não o descumprimento da lei existente, isso sim seria uma desobediência, queremos discutir o aperfeiçoamento dessas leis.

Bem-humorado, Minc disse que não se sente intimidado pela convocação e inclusive agradeceu aos parlamentares pelo chamado, que segundo ele, será mais uma oportunidade para debater o assunto de forma pública e sem preconceito.

- Seria uma truculência muito grande vedar que uma pessoa expresse a sua posição sobre um assunto tão importante que causa tormenta nas famílias de usuários e uma corrupção violenta. Eu discuto o assunto e, enquanto puder, vou continuar discutindo. A Câmara é mais um espaço, mais uma oportunidade do país debater em profundidade, não com dogma, não com preconceito, não tentando intimidar - afirmou.

A audiência na Câmara está marcada para as 14h30.