Surto de vírus em hospital de Campinas ameaça bebês

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - A Universidade de Campinas informou sexta-feira que mais dois bebês estão em estado grave e correm risco de morrer devido ao vírus que contaminou 16 crianças na UTI neonatal do Hospital da Mulher da universidade. Dentre as crianças infectadas, uma morreu e outra já recebeu alta.

O vírus que atingiu os bebês é denominado VSR (Vírus Sincicial Respiratório) e, segundo o hospital, provoca doenças respiratórias, potencialmente perigosas para pacientes já debilitados . Alguns setores da UTI neonatal também tiveram a presença do vírus confirmada pela comissão.

Segundo informações do hospital, 25 crianças estão internadas na unidade, sendo que 14 estão isoladas devido à infecção. Para evitar a propagação da doença, as visitas à UTI neonatal estão restritas aos pais dos recém nascidos.

Após a detecção do vírus, a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar determinou a interdição do hospital, como prevenção. Por conta disso, não serão admitidas novas internações para a realização de partos normais e alto risco. A Unicamp também informou que foi criado um comitê para monitorar os casos e acompanhar o controle do surto.