Lula pede que o povo não vote em candidatos "vigaristas"

Agência Brasil

RIO DE JANEIRO - Durante a inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), nesta sexta-feira, no Complexo de Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que a população não vote em candidatos "vigaristas".

- Esse País pode ser diferente se a gente aprender a não eleger vigarista, se a gente aprender a eleger pessoas que têm compromisso com o povo - afirmou. - (Precisamos de) pessoas que não tenham medo de pegar na mão de um doente, abraçar um pobre, um negro.

Durante discurso, Lula voltou a afirmar que a população pobre é prioridade de seu governo e criticou o "descaso" de muitos de seus antecessores.

- A coisa mais fácil é a gente governar para os pobres. Porque com pouca coisa a gente faz muito - afirmou.

O presidente também voltou a expressar o desejo de que as favelas contem com infra-estrutura de bairros e superem o estigma de violência e de pobreza.

- Ainda vivo não quero ouvir a palavra favela. Quero ouvir falar em bairro, cidade, em vila - disse Lula.

A entrega de obras em Manguinhos também foi marcada por manifestações da platéia. Cerca de mil moradores gritaram frases de "Fica, fica, fica", em alusão ao terceiro mandato, e de "Dilma, Dilma, Dilma", de apoio à candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República.

- Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta - respondeu o presidente.

Ao afirmar que as obras do PAC devolvem dignidade aos habitantes do lugar, a ministra Dilma pediu aos moradores "que zelem" pelos bens públicos e agradeceu as manifestações de apoio.

No Complexo de Manguinhos, o governo entregou um centro tencológico, quadras de esporte, duas piscinas, uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), além de um posto para orientar a população na expansão e construção de imóveis.