Falta de combustível extra adia resgate da FAB no Piauí

Yala Sena, Portal Terra

TERESINA - Um helicótero da Força Aérea Brasileira (FAB), que deveria voar de Teresina para o município de Cocal, no Piauí, na tarde desta sexta-feira, desistiu da viagem, devido à falta de combustível extra para abastecimento na cidade afetada pelo desastre. A aeronave, que foi chamada para resgatar aos sobreviventes do acidente na barragem Algodões I, em Cocal, vai esperar até amanhã para iniciar as buscas e ajudar na distribuição de alimentos e medicamentos.

O helicóptero, com oito homens a bordo, está parado desde as 13h30 no hangar do governo ao lado do aeroporto de Teresina. O comandante do helicóptero, major Volney Osmari, comunicou o problema a Defesa Civil e a setores do governo. Depois de checar se seria possível abastecer o aparelho na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí, a equipe resolveu embarcar só na manhã do sábado.

- A Petrobras e o governo do Estado vão disponibilizar combustíveis a partir de amanhã direto a Cocal para abastecer a aeronave - informou o comandante, destacando que o helicóptero. Saindo de Teresina sem combustíveis a bordo, o avião da FAB seria quase inútil. O H-60L Black Hawk consome 600 l por hora. Descontando as duas horas de deslocamento entre Teresina e Cocal, a aeronave teria apenas uma hora de trabalho de resgate na cidade.

O helicóptero militar do 8º Grupo de Aviação com sede em Manaus fará o resgate de pessoas, distribuição de alimentos e água, e demais ações necessárias que estiverem ao seu alcance. Ele tem capacidade para 15 pessoas e suporta 2 t.

A Defesa Civil divulgou no final da tarde desta sexta que permanece o número de cinco as vítimas fatais por causa do rompimento da barragem e que quatro pessoas continuam desaparecidas.