Doações correm risco de estragar após chuva em Pelotas

Portal Terra

PELOTAS - Sobrou solidariedade, mas faltou cuidado e atenção com as doações às vitimas das enchentes do começo do ano no município de Pelotas, no sul do Rio Grande do Sul. Centenas de peças de roupas, papéis e absorventes higiênicos foram encontrados expostos à ação do tempo no prédio do Grande Hotel, centro da cidade.

Os objetos começaram a chegar à Secretaria de Cidadania e Assistência Social do município depois que uma forte chuva, no dia 29 de janeiro, castigou a cidade e a região e atingiu milhares de pessoas. Como o volume não coube na repartição da prefeitura, as doações foram levadas para o salão do prédio histórico que aguarda reformas. A grande preocupação é de que os utensílios estariam se deteriorando por estarem amontoados sob umidade e infiltrações da construção antiga, além da ação de insetos.

Na ocasião, o Exército foi solicitado para ajudar a distribuir kits, mas, às vésperas de completar quatro meses das enchentes, muitas peças permanecem no mesmo local e ainda não encontraram demanda entre os atingidos nem uma destinação mais organizada.

Ao ser procurada, a titular da pasta, em Pelotas, a secretária Elisabeth Marques Dias, atribuiu a situação ao excesso de doação e à carência de mão-de-obra no processo de armazenagem.

- Não há descaso e não houve ninguém que não tenha ganhado ou que não esteja ganhando diariamente roupas em nossa secretaria, tudo o que está lá é excedente- afirmou Elisabeth.

- Recebemos uma quantidade gigantesca de doações de roupas e calçados. Na época chegamos a contar com ações voluntárias, mas esse serviço não continuou. Após a emergência, reduziu-se a intensidade na acomodação, já que temos três funcionários que trabalham na rouparia e também atendem o plantão social- frisou.

Ainda de acordo com a secretária, muitas doações chegaram sem nenhuma condição de uso: sujas, rasgadas ou em pedaços, o que exigiu uma triagem.

- Distribuímos entre todos os atingidos e todas as casas beneficentes do município, mas sobrou muita coisa. Continuamos preparando as doações e asseguro que nenhuma peça deixará de ser aproveitada. As que, eventualmente, não tiveram condições de uso serão destinadas às oficinas de acolchoados- disse.

Depois da constatação do problema o Exército foi novamente solicitado e permanecerá no local, para separar as peças até a próxima sexta-feira.