Dirigentes do PT vão à Justiça como testemunhas de réus do mensalão

Elaine Patricia Cruz, Agência Brasil

SÃO PAULO - Alguns membros da diretoria do Partido dos Trabalhadores (PT) serão ouvidos nesta sexta-feira pela Justiça Federal em São Paulo no processo que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e que trata sobre o suposto esquema de venda de votos no Congresso Nacional, chamado de mensalão. Entre as nove testemunhas, estão o secretário de Relações Internacionais do PT, Valter Pomar, o secretário de Organização do partido, Paulo Frateschi e o tesoureiro Paulo Ferreira.

Também são esperados os depoimentos de Denise Paraná, autora de uma biografia do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, Jaider Cruz Gama, Sérgio Honório Guerisoli de Carvalho, Geuza Ferreira Selin, Daniela Farah Antunes e João Felício.

Nessa quinta-feira foram ouvidas testemunhas de defesa do publicitário Duda Mendonça. Depois de prestarem depoimento, duas de suas testemunhas disseram que foram questionadas pela juíza sobre aspectos referentes ao caráter e o trabalho de Duda Mendonça. O jornalista Ricardo Kotscho disse à juíza que o conheceu durante a campanha presidencial do PT em 1989.

O jornalista e empresário Armando Ferrentini também foi ouvido e disse ter dito no depoimento que Duda Mendonça sempre foi um profissional de muita admiração no mercado, chegando a ponto de ser contratado por candidatos de outros países para cuidar de sua propaganda política .