Minc: apenas adverti agricultores familiares contra "canto da sereia"

Agência Brasil

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, comentou nesta quinta-feira as críticas que fez nessa quarta a ruralistas, afirmando que apenas advertiu os agricultores familiares contra o "canto da sereia" dos grande produtores, que estavam aterrorizando os pequenos para jogá-los contra as leis ambientais.

- Eu dizia para eles não ouvirem esse canto da sereia, que a boa aliança deles era com os ambientalistas e iríamos dar um tratamento diferenciado para a agricultura familiar - disse depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Minc afirmou que foi mal interpretado e ofendido por alguns parlamentares e que houve destempero. Acrecentou, no entanto, que não irá entrar nessa polêmica e que os setores do agronegócio, na verdade, reagiram à aliança que foi feita entre a área de meio ambiente e a agricultura familiar.

- Houve destempero, não vou entrar nessa polêmica, não ofendi ninguém, não ofenderei, não irei para a Justiça, apenas cada um quando expressa suas opiniões também atesta a qualidade do seu nível, não vou baixar o nível.

Carlos Minc criticou os ruralistas ao participar de um ato de agricultores familiares em frente ao Ministério do Meio Ambiente. Ele chamou os ruralistas de "vigaristas" e disse que eles "encolheram o rabinho de capeta e agora fingem defender a agricultura familiar".

O ministro voltou a defender tratamento diferenciado para a agricultura familiar em relação ao agronegócio na discussão de mudanças no Código Florestal.

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, criticou as declarações de Carlos Minc, afirmando que demonstram "absoluta falta de conhecimento da realidade ou agressão desnecessária". Houve reação também do líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), que é ligado ao setor do agronegócio.