Jucá: governo está alerta mesmo com controle da CPI das ONGs

Marcos Chagas, Agência Brasil

BRASÍLIA - O governo está tranquilo, mas alerta sobre o domínio da oposição na comissão que investiga repasse irregularidades de dinheiro público a instituições não governamentais, conhecida como CPI das ONGs. A afirmação é do líder no Senado Romero Jucá (PMDB-RO). Ele acrescentou que a base aliada tem maioria na comissão e portanto não vê possibilidade de manobra pela oposição.

Nessa quarta, com o afastamento do senador Inácio Arruda (PcdoB-CE) da relatoria, o presidente da CPI, Heráclito Fortes (DEM-PI) indicou o líder do PSDB, Arthur Vírgilio Neto (AM), para o cargo, o que irritou a base aliada.

- Se não for possível reverter a decisão de Heráclito Fortes, vamos atuar da forma que der. Temos maioria. Ou combinamos uma forma de trabalho ou a CPI vai funcionar com dificuldades.

Com o afastamento, Inácio Arruda agora está regimentalmente habilitado para presidir a CPI da Petrobras, pois é um dos três titulares indicados pelo bloco de apoio ao governo, que ainda não oficializou um nome para o cargo.

Sobre a CPI da Petrobras, Jucá rejeitou qualquer possibilidade de a base aliada investigar os contratos da estatal fechados durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

- Não se trata de uma guerra. Minha linha é de um trabalho propositivo.