Assessor diz que CPI não deve afetar imagem da Petrobras no exterior

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras no Senado não deve afetar negativamente a imagem da empresa no exterior, porque o controle e a fiscalização da Petrobras são bons e ocorrem normalmente dentro da sociedade. A afirmação é do assessor internacional da presidência da Petrobras, André Garcez Ghirardi, que participou do seminário Estratégia Internacional do Brasil: Investimentos, Serviços e Inovação na Agenda Externa, realizado nesta quinta-feira pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais, na capital paulista.

Segundo Ghirardi, a empresa é permanentemente citada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para prestar informações sobre suas atividades e faz isso como parte de sua rotina.

- Entendo que, no contexto da CPI, essas informações também serão prestadas da mesma forma e entendo que a informação para a sociedade é sempre uma coisa boa.

Ghirardi questionou, entretanto, a necessidade real da CPI do Senado, uma vez que a Petrobras já é fiscalizada constantemente pelos órgãos competentes.

- Mas isso é só uma conjectura, porque a CPI é legitima, foi instaurada legitimamente e a Petrobras vai prestar as informações, com a mesma disposição que presta normalmente para os órgãos de fiscalização.

O assessor internacional da estatal reforçou que a imagem da Petrobras está consolidada no exterior com base nas ações da empresa e na forma como aplica e gerencia seus recursos.

- Entendo que não existe forma mais eloquente de testemunhar isso, do que ver a forma como a empresa conseguiu captar recursos nesse início de ano dentro de um ambiente de crise financeira tão agudo como o que estávamos vivendo - concluiu André Garcez Ghirardi.