Jucá diz que está à disposição para ser relator

Agência Brasil

BRASÍLIA - O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), reafirmou hoje (27) a intenção dos partidos da base aliada de ficar com a presidência e a relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. A ideia, inicialmente, seria que o próprio Jucá ficasse com a relatoria e um integrante do bloco de apoio ao governo com a presidência.

Romero Jucá, no entanto, disse que a decisão será tomada pelos líderes partidários da base apenas na semana que vem, após a instalação da CPI, prevista para terça-feira (2). "Meu nome está à disposição para ser relator , mas depende dos líderes partidários da base aliada e do presidente da CPI", disse Jucá.

Após instalada a comissão, pelo senador de mais idade presente, será feita a votação para a escolha do presidente, que, após eleito, indicará o relator. De acordo com Jucá, como os partidos de sustentação do governo possuem ampla maioria (oito senadores contra três da oposição), o presidente poderia ser a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), líder do governo no Congresso Nacional, João Pedro (PT-AM) ou Inácio Arruda (PCdoB-CE).

O líder do governo no Senado não descartou por completo um eventual acordo com a oposição, que permita a divisão do comando da CPI da Petrobras. "Em política, até terça-feira, pode acontecer qualquer coisa. Até lá, é longo prazo".