Chuvas atingem Sergipe e causam duas mortes

Andrea Vaz, Portal Terra

ARACAJU - A chuva intensa que atinge o Sergipe desde a última sexta-feira causou a morte de uma menina em Aracaju e de um homem em Estância. Segundo a Defesa Civil do Estado, a cidade mais atingida é Estância, onde 250 pessoas foram afetadas.

A garota Perolina Santos Lima, 8 anos, morreu no domingo, depois de ser arrastada pela força da chuva ao cair num córrego no 18 do Forte. Ela foi enterrada hoje pela manhã.

O empresário Djun Suzuki morreu quando transitava no km 140 da BR-101, próximo a sua fazenda, na região do posto de combustível Águas Claras, em Estância, quando sua Saveiro foi tomada pela água.

Na madrugada de sábado para domingo, 17 casas em Estância desabaram e mais 80 famílias ficaram desabrigadas após terem suas casas alagadas. Os desabrigados foram levados para locais cedidos pela prefeitura.

Oito carros ficaram submersos, cinco postes de energia caíram e cabeceira que ligava a rodovia ao bairro Bonfim foi arrastada, segundo informou a prefeitura, que declarou estado de emergência.

Na zona norte de Aracaju, mais de cinco casas desabaram, as ruas ficaram alagadas e uma escola da rede estadual suspendeu as aulas devido às chuvas. Barracos também desabaram no morro do Avião, em Santa Maria, zona sul da capital.

Em Porto Dantas também houve alagamento. O rio Pamaropama subiu na madrugada de domingo e cerca de 220 famílias foram atingidas. Além da rua Beira Mar, que fica à frente do rio, as chuvas também atingiram as ruas Graccho Cardoso e Jardins.

- As casas foram alagadas de 12h de sábado até umas 2h de domingo, com o rio subindo 1 m. Depois que as chuvas diminuíram, foi escoando - disse um agente da Defesa Civil de Sergipe.

Ao todo, 430 residências, além de estabelecimentos comerciais, ficaram alagadas com o transbordamento do rio Ganhamoroba, na cidade de Maruim, e as famílias do local foram retiradas.

Casas também ficaram inundadas em São Cristóvão. Em Estância, o rio Piauitinga subiu 5 m nas primeiras horas do domingo, deixando 170 pessoas desabrigadas. Quatro bares, uma pousada e 14 carros ficaram submersos. Um galpão e uma das cabeceiras da centenária ponte que liga o bairro Bonfim à BR-101 foram destruídos.