Chuva volta a atingir região da ferrovia da Vale no Pará

REUTERS

BELÉM - Fortes chuvas voltaram a atingir o estado do Pará, onde as enchentes na semana passada interromperam o transporte de minério de ferro da Vale na Estrada de Ferro Carajás, informou a Somar nesta segunda-feira.

A Vale declarou na sexta-feira condição de força maior na ferrovia, o que afetou as entradas no mercado doméstico, e explicou que 'caso as condições meteorológicas persistam nos próximos dias, impedindo o retorno da operação da ferrovia e a reposição dos estoques de minério de ferro no terminal portuário de Ponta da Madeira, em São Luís, a declaração de força maior será estendida aos contratos de exportação'.

Uma porta-voz da Vale afirmou nesta segunda-feira que não há novas informações sobre a situação. - As chuvas voltaram forte e não vemos reversão do problema (da Vale) no curto prazo - disse Celso Oliveira, meteorologista da Somar.

As operações na ferrovia foram suspensas em 4 de maio, após o Rio Vermelho ter transbordado e alagado um trecho de um quilômetro na altura do Km 765, próximo a Marabá, no Pará.

A ferrovia atende à maior mina de minério de ferro da Vale, Carajás, cuja produção de minério de alta qualidade e baixo custo atingiu o recorde de 96,5 milhões de toneladas no ano passado.

No primeiro trimestre de 2009, a produção da mina totalizou 20,3 milhões de toneladas, queda de 16% em relação ao mesmo trimestre de 2008 devido à demanda menor das siderúrgicas de todo o mundo.