Vítimas das chuvas passam dificuldades nos abrigos

Agência Brasil

BACABAL - Os desabrigados pelas chuvas no município de Bacabal, a 230 quilômetros de São Luís, no Maranhão, enfrentam agora as dificuldades nos abrigos cedidos pela prefeitura. Num imóvel onde funcionou uma maternidade, atualmente desativada, cerca de oitenta famílias dividem apenas um banheiro.

- A situação está muito difícil - reclamou a Maria do Socorro, que está no local há um mês acompanhada dos cinco filhos e o marido. De acordo com a Defesa Civil, em Bacabal, cerca de 4 mil pessoas estão desabrigadas.

- Isso é uma humilhação muito grande - disse Raimundo da Silva.

Para minimizar as consequências da falta de higiene, enfermeiras do município distribuem hipoclorito se sódio para tratar a água.

Na manhã deste sábado, as famílias de desabrigados formaram uma grande fila para receber as cestas básicas distribuídas pela prefeitura, Defesa Civil e governo do estado. A maioria reclamou da demora na entrega dos mantimentos.

- A cesta chega em oito em oito dias e é pequena. Para quem tem família grande não dá - afirmou Francisca da Silva.

A maioria dos desabrigados tinha suas casas às margens do Rio Mearim. As moradias de taipa, construída à base de argila, foram destruídas pelas águas.

- Eu perdi tudo. Minha casa desabou completamente - disse Rosinete da Conceição Machado.

- Eles passam com as lanchas e as ondas acabam destruindo tundo - reclamou Dina Fernandes da Silva. Segundo ela, o próprio trabalho de resgate fez com que sua casa desmoronasse.