Gripe suína: jovem nega sintomas antes de chegar ao país

Natalia Pacheco, Jornal do Brasil

RIO - O jovem do primeiro caso de gripe suína confirmada no Rio de Janeiro nega ter chegado de Cancún (México) com os sintomas da doença. Em entrevista ao Extra Online, ele negou ter ido ao Maracanã no último domingo como havia sido divulgado e disse estar triste com as notícias de que teria agido com irresponsabilidade ao não revelar que se sentia mal.

O rapaz, de 21 anos, cuja identidade não foi revelada, permanece internado no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão, desde a última terça-feira. Ele contou que ficou assustado ao saber que estava com a gripe suína, mas que se sente mais tranquilo depois de receber os cuidados necessários para o tratamento da doença. O jovem também informou que viajou sem ter conhecimento sobre a doença, já que o primeiro caso diagnosticado foi revelado em 25 de abril, um dia depois de seu embarque.

Segundo a assessoria do hospital, o jovem está em um quarto totalmente isolado. Médicos e visitantes precisam entrar com roupas especiais e máscaras. A alta está prevista para os próximos 10 dias, tempo de duração do ciclo do vírus.

Amigos monitorados

Um funcionário do hospital, que preferiu não se identificar, contou que a família do rapaz sofreu discriminação na vizinhança o jovem mora na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio após a confirmação da doença.

De acordo com o chefe da Epidemilogia do Hospitao do Fundão, todos os familiares e amigos do rapaz infectado estão sendo monitorados.

Sexta-feira, foi confirmado mais um caso no Rio. O doente é amigo do jovem internado na terça-feira no Fundão. O rapaz, de 29 anos, chegou sexta-feira ao Clementino Fraga Filho com os sintomas da doença e foi logo internado. O rapaz, que também não teve a identidade revelada, passou por uma bateria de exames com o kit enviado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os exames foram enviados à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que deu o diagnóstico. Os dois amigos tiveram contato durante o fim de semana. O jovem também ficará mais 10 dias no hospital para o tratamento da doença.

Sem pânico

O clima no Hospital do Fundão na tarde de sexta-feira era de tranquilidade. Segundo uma estudante de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que faz estágio no Clementino Fraga Filho e não quis ser identificada, contou que não há motivos para pânico, já que a instituição tomou todas as precauções necessárias.

Só estão autorizados a entrar no hospital estudantes da universidade, médicos e os familiares dos pacientes. Para tranquilizar os frequentadores, o diretoria do Clementido Fraga disponibilizou máscaras cirúrgicas.

É para quem quiser se sentir mais seguro disse um médico.

No final da tarde de sexta-feira surgiu a informação de mais um caso suspeito de gripe suína no hospital Santa Maria Madalena, também na Ilha do Governador. Procurados pelo Jornal do Brasil, o ministério e a secretaria estadual de Saúde não confirmaram o caso.