Chuvas causam prejuízo bilionário

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - A chuva que atinge o Nordeste já causou prejuízo de aproximadamente R$ 1 bilhão, segundo balanço baseado em informações parciais repassadas pelos estados e apresentado sexta-feira pelo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. A região tem 207 cidades em situação de emergência devido às enchentes que já causaram, também, 44 mortes.

O ministro disse que vai apresentar os números ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e adiantou que o governo deverá propor uma nova medida provisória para destinar mais recursos para os municípios nordestinos atingidos. Geddel, porém, não falou em valores.

Os governadores do Nordeste defenderam sexta-feira a criação de um fundo nacional de Defesa Civil para garantir a liberação rápida de recursos em casos de emergências, como as enchentes que atingem a região atualmente. A ideia foi apresentada a Geddel durante o 10° Fórum de Governadores do Nordeste. De acordo com a proposta, o fundo poderia ser composto por recursos do ministério e de emendas ao Orçamento apresentadas por parlamentares.

Tem que haver um fundo que permita a estados e municípios ter esses recursos sempre, assim como acontece em áreas como educação e saúde. É preciso ter reservas nos orçamentos para lidar com essas tragédias defendeu o governador do Piauí, Wellington Dias, ao comparar a proposta aos moldes do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

De acordo com os governadores, como atualmente a liberação de recursos só é feita após a avaliação completa dos prejuízos, há casos em que o dinheiro para reparação dos danos só chega aos estados mais de dois anos depois das enchentes.

Segundo Dias, o ministro Geddel se mostrou favorável à proposta e o assunto deverá ser levado a uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos próximos dias. Durante o encontro com governadores, Geddel foi questionado sobre a demora na liberação de recursos emergenciais para atender populações atingidas por chuvas ou secas extremas.

Posso afirmar que desta vez o repasse será mais rápido - prometeu o ministro. Geddel lembrou que o governo reduziu a exigência de documentos para acesso aos recursos e está articulando medidas com órgãos de controle para acelerar a liberação do dinheiro nesses casos.

Sem trégua

Balanço da Secretaria Nacional de Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional, divulgado sexta-feira, aponta que aproximadamente 912 mil pessoas ainda são afetadas pelas chuvas que atingem 11 estados no Nordeste, Norte, além de Santa Catarina.

As mortes foram registradas em oito estados: Ceará (12), Maranhão (9), Paraíba (2), Pernambuco (1), Bahia (7), Alagoas (4), Amazonas (8) e Santa Catarina (1). Entre os mais afetados, 126.376 estão desabrigados tiveram de deixar suas casas e 57.249 desalojadas, ou seja, hospedadas com amigos ou familiares.

Para amenizar o sofrimento da população, a Sedec enviou cestas de alimentos, material de limpeza e kits de abrigamento. Foram disponibilizadas 129.150 cestas de alimentos, de 23 kg, compostas por arroz, feijão, açúcar, óleo, leite em pó, farinha de mandioca e macarrão. Um total de 1,4 milhão de itens como colchões, cobertores, travesseiros, fronhas, lençóis, filtros, lonas e mosquiteiros foram enviados às regiões onde a chuva fez estragos.

No Nordeste, o Ceará é o estado que tem o maior número de municípios atingidos (72), seguidos pelo Maranhão (68), Piauí (37), Paraíba (22), Rio Grande do Norte (15), Bahia (11), Pernambuco (7) e Alagoas (3). São 235.874 cearenses vitimados de alguma forma pelas enchentes, enxurradas e desabamentos, destes, 43.832 estão desabrigados ou desalojados.

No Maranhão, a população afetada chega a 181.590 pessoas, com 34.597 desalojados e 24.246 desabrigados. Na Bahia, são 4.972 desalojados e 1.732 desabrigados. No Piauí e no Rio Grande do Norte, a chuva afetou a vida de 65.695 e 44.808 pessoas, respectivamente.

Na região Norte, é no estado do Amazonas onde se encontra o maior número de municípios atingidos, 47, com 46.242 pessoas desalojadas e 10.196 desabrigadas. No Pará, são 28 municípios atingidos e 25.985 pessoas afetadas direta ou indiretamente pela chuva.

Em Santa Catarina, os danos causados pela chuva atingiram dez municípios e uma população de 3.550 pessoas. Apesar de Santa Catarina ter voltado a sofrer com as enchentes neste ano em 2008 as chuvas causaram 135 mortes no estado parte do região também sofre com a seca. Ao menos 102 municípios decretaram situação de emergência em decorrência da falta de chuva no estado. (Com agências)