PR: suspeitos de matar casal criariam ONG nazista, diz delegado

Portal Terra

CURITIBA - Um grupo preso suspeito de matar um casal de universitários em Curitiba (PR) queria criar uma ONG para atrair simpatizantes de Adolf Hitler, segundo o delegado-chefe do Centro de Operações Policiais Especiais do Paraná, Miguel Stadler. As mortes teriam ocorrido devido a uma briga entre neonazistas.

O casal foi morto em 21 de abril após uma festa que comemoraria o aniversário de nascimento de Hitler. Foram presos, suspeitos pelo crime, o economista Ricardo Barollo, 34 anos, em São Paulo, suposto mandante, outras três pessoas em Curitiba, uma em Laguna (SC) e uma em Teotônia (RS).

Segundo a polícia, o economista ainda pretendia constituir um partido político e iniciar um projeto para a criação de um novo Estado.

Ainda de acordo com a polícia, o estudante morto tinha contato com neonazistas da Argentina e do Chile via internet.

O advogado de Barollo afirmou que as acusações contra o seu cliente são absurdas. Barollo negou ligações com o nazismo e diz ser comunista.