Denúncias podem levar a fim da CPI da Pedofilia

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Em meio a denúncias de irregularidades em viagens realizadas por integrantes da CPI da Pedofilia do Senado, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) defendeu segunda-feira o fim dos trabalhos da comissão no prazo máximo de um mês. Relator da CPI, Demóstenes teme que as denúncias manchem os trabalhos realizados pela comissão por considerar que as investigações podem ser concluídas em 30 dias.

Essa é uma CPI que teve ganhos extraordinários e não pode se perder. Tivemos avanços preciosos. O Google contribuiu conosco, assim como a Polícia Federal. Centenas de pedófilos foram encontrados. O essencial foi feito. Os novos casos devem ser encaminhados ao Ministério Público e à Polícia Federal afirmou.

Demóstenes pediu uma reunião da CPI nesta semana para discutir o fim dos trabalhos da comissão. Ele vai se reunir com o presidente da CPI, Magno Malta (PR-ES), e representantes do Ministério Público, da Polícia Federal e promotores de Justiça que auxiliaram as investigações para discutir o tempo necessário para que a CPI conclua seus trabalhos.

Malta conseguiu apoio de senadores para prorrogar a CPI até outubro, mas Demóstenes disse acreditar que em 30 dias a comissão pode encerrar suas atividades.

Eu já tenho meu relatório praticamente concluído. Após ouvir os técnicos, vamos deliberar sobre o tempo restante. A ideia é fazer com que isso tenha no máximo um mês afirmou.

Sindicância

O Senado instaurou na semana passada sindicância para investigar viagem realizada por Malta à Índia e Dubai (Emirados Árabes), no final do ano passado, com recursos da Casa. Como presidente da CPI da Pedofilia do Senado, Malta viajou à Índia para participar de um evento contra a pornografia infantil, mas é acusado de esticar a viagem até Dubai para fazer turismo. O senador e o assessor José Augusto Santana são suspeitos de passar quatro dias de folga em Dubai, numa viagem oficial autorizada apenas para a Índia.

O diretor-geral do Senado, Alexandre Gazineo, designou três servidores para investigar viagens realizadas por funcionários da CPI da Pedofilia o que inclui o evento a Índia e Dubai. (Com agências)