PR: economista acusado por morte de casal e neonazismo é transferido

Portal Terra

CURITIBA - O economista Ricardo Barollo, 32 anos, acusado de matar um casal em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, e de participar de um grupo neonazista, foi transferido para a capital paranaense depois de ser detido ontem em seu apartamento, no bairro nobre de Moema, zona sul de São Paulo.

De acordo com a polícia, o crime aconteceu na madrugada do último dia 21, quando o acusado e as vítimas teriam participado de uma festa em comemoração do 120º aniversário do líder nazista Adolf Hitler.

Duas hipóteses para o crime são estudadas pela polícia. O desentendimento entre o casal e o rapaz e a possibilidade de o acusado não ter sido aceito para participar da festa.

Durante a prisão não houve resistência e Barollo negou a autoria do crime. Ele teve prisão temporária decretada por 30 dias pela polícia paranaense. A prisão foi feita com participação do Deic (Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado) paulista.

Os corpos dos estudantes foram encontrados na cidade de Quatro Barras. Dayrrell Pedroso e Renata Ferreira teriam saído da festa, em uma chácara, para comprar cerveja. Ambos foram mortos com tiros na cabeça.