Temporão considera inevitável a chegada da gripe ao Brasil

REUTERS

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta sexta-feira que pretende convocar para a semana que vem uma reunião com autoridades de saúde da América do Sul e discutir medidas de conter o vírus da gripe suína.

- Estou querendo programar para semana que vem, em Brasília, uma reunião com os ministros da Saúde da América do Sul para definir uma ação conjunta - disse Temporão após a inauguração de um centro de reabilitação da Rede Sarah no Rio de Janeiro.

Temporão afirmou que considera inevitável a chegada ao Brasil do vírus da influenza H1N1, conhecido como gripe suína. Segundo o ministro, no momento há quatro casos suspeitos no País (três em Minas Gerais e um em São Paulo) e outros 42 estão sendo monitorados em 12 Estados.

- Não há motivo para pânico no momento, não há sentido nenhum agora em comprar máscaras ou buscar medicamentos contra a gripe. A automedicação pode ser até um risco para a gripe - disse.

O ministro criticou a demora da Organização Mundial da Saúde (OMS) em comunicar a disseminação da doença.

- A OMS demorou a avisar o mundo. Isso só foi realizado na madrugada de sábado - disse.

Temporão reiterou que o Brasil tem estoque de 12,5 mil tratamentos da doença e matéria-prima para produzir outros 9 milhões. O plano de contingência do País está sendo focado, por enquanto, para portos e aeroportos, mas pode ser estendido a estradas, afirmou o ministro.

O México, país mais afetado pela crise sanitária, registrou 176 casos possivelmente provocados pelo vírus H1N1. A doença teve casos confirmados em 13 países até agora, segundo a OMS.