Senadores se articulam para cobrar de Sarney medidas mais incisivas

Marcos Chagas , Agência Brasil

BRASÍLIA - Senadores de vários partidos começaram a se movimentar nesta semana com o objetivo de cobrar da Mesa Diretora providências mais incisivas na apuração das denúncias de fraudes em contratos praticados por diretores da Casa. Já se fala, inclusive, na criação de um movimento suprapartidário para cobrar formalmente do presidente José Sarney (PMDB-AP) investigações de órgãos externos como Tribunal de Contas da União (TCU), Polícia Federal e Ministério Público.

Ao TCU caberia uma auditagem dos contratos feitos pela Diretoria Geral nos últimos anos. É preciso que se faça uma investigação verdadeira com a ajuda do Ministério Público, Polícia Federal e TCU. Vamos até o fim nesta investigação. Nós já sabemos onde está o problema e, agora, temos que resolver , disse o líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto (AM). Ele acrescentou que qualquer movimento não pode ser excludente resumindo-se a uma articulação de cardeais".

Arthur Virgílio defende a participação, também, de senadores que não têm tanta exposição na mídia e que, segundo ele, também estão incomodados com a situação. Segundo ele, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) já propôs um jantar em sua residência com alguns parlamentares para discutir uma postura a ser tomada diante da crise do Senado e as medidas adotadas pela Mesa Diretora.

O senador Renato Casagrande (PSB-ES) é outro que já participou das conversas e apoia a movimentação dos senadores. Trata-se de um movimento de resgate do Legislativo. O Senado é hoje uma Casa privatizada. Só sindicância interna é pouco , disse. Ele e Arthur Virgílio também consideram insuficiente a investigação, pela Polícia do Senado, de denúncias contra o ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi.

A reportagem publicada pela revista Época informa que Zoghbi teria montado empresas de fachada para intermediar a exploração de empréstimos consignados a servidores concedidos por bancos credenciados pela Diretoria Geral.

Todo esse esquema tem que ser desmontado. Temos que ser mais audaciosos na correção de rumos. Não se pode achar que as coisas vão ser superadas com o tempo , disse Renato Casagrande. Ele qualificou de paliativas e superficiais as providências tomadas pela Mesa Diretora diante das denúncias feitas.

A senadora Ideli Salvatti (PT-SC), que não foi procurada ainda para discutir o assunto, apoia a idéia de se criar um movimento para forçar a Mesa Diretora a abrir as investigações para órgãos externos. É necessário que haja uma investigação externa para ter o mínimo de credibilidade , afirmou.

Ela concorda com o líder do PSDB que, nas conversas, não se pode excluir ninguém. Ideli Salvatti acrescentou que dentro da bancada tem muita gente incomodada com as denúncias que têm sido publicadas e a reação da Mesa Diretora.