Dia do Trabalho: no Paraná, 'presente' é salário mínimo de R$ 605

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O governador do Paraná, Roberto Requião, aproveitou as comemorações do Dia do Trabalho e informou que vai sancionar reajuste de 14,9% do salário mínimo regional. O aumento, negociado entre governo e centrais sindicais, foi aprovado pela Assembleia Legislativa no último dia 8. O valor a ser aplicado varia entre R$ 605,52 e R$ 629,55 e beneficiará principalmente trabalhadores de categorias sem acordos ou convenções coletivas de trabalho. Segundo projeções do Departamento Intersindical e Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o piso atende 468 mil trabalhadores formais e representa um potencial de impacto de R$ 754,4 milhões na economia do estado.

Em Curitiba, o dia foi comemorado em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo estadual. A festa, promovida em conjunto pelo governo do estado e pela Força Sindical, teve atividades ao longo de sexta-feira, incluindo missa, apresentações musicais e recreação para crianças e para pessoas da terceira idade.

Mesmo com céu encoberto e tempo fechado, com chuviscos ao longo do dia, os organizadores do evento estimaram a participação de 150 mil pessoas ao longo do dia. Ao comentar a situação econômica atual, o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Paraná (CUT-PR), Roni Barbosa, disse que a crise não é justificativa para o empresário se negar a negociar salários. Alguns setores, como os bancos, já ganharam muito dinheiro e não têm por que falar em crise.

Em frente ao Palácio Iguaçu, foram instalados postos de emissão de carteiras de trabalho e de coleta de sangue e de medula óssea, além de outros serviços de apoio aos cidadãos. Os trabalhadores recebem ainda informações sobre o consumo de energia elétrica, o uso de sacolas de material ecológico, ligações de rede de água e gás natural e sobre o preenchimento de cadastro em programas da Companhia de Habitação do Paraná. (Com agências)