Dilma quer evitar espetáculo midiático

Natália Pacheco , JB Online

RIO - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência da República, quer evitar um espetáculo midiático sobre o câncer que trata. Ela disse isso ontem, em evento no Rio, dois dias depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em palanque em Manaus, citar a doença e pedir orações para ela.

Dilma disse que rejeita a ideia de espetacularização do câncer, e admitiu que poderá comparecer a compromissos de trabalho sem o mesmo fôlego. A ministra afirmou também que falará do estágio do tratamento da doença para dar satisfação à população que, segundo ela, se mostra muito solidária.

Não pretendo discutir e nem polemizar o tratamento. Sempre que for necessário vou mostrar a importância da prevenção, mas não pretendo ficar falando disso disse a ministra.

Sobre a suspensão de uma viagem na próxima segunda-feira para uma feira internacional de petróleo, em Houston, nos Estados Unidos, a ministra disse que não poderá ir ao evento por conta de uma nova visita ao médico para a realização de outros exames, e vai em busca de uma segunda opinião.

Houve uma grande evolução nas tecnologias de tratamento para evitar consequências desagradáveis da doença. É importante uma segunda opinião para saber se realmente estou seguindo o melhor caminho destacou.

A ministra participou de uma coletiva ontem, no Rio, com o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, sobre o início dos testes de produção no campo de Tupi, área do pré-sal da Bacia de Santos.