Decano do STF promove ato de solidariedade a Gilmar Mendes

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, foi objeto de um ato de solidariedade inédito, promovido pelo decano do tribunal, Celso de Mello, que no início da sessão plenária desta quarta-feira, ausente o ministro Joaquim Barbosa, de licença médica leu um discurso de 25 minutos para registrar e elogiar, como fato de alta significação para a vida desta Corte , o primeiro aniversário da gestão do atual presidente. Sem qualquer referência direta ou indireta - ao grave entrevero ocorrido na semana passada entre Mendes e Barbosa, Celso de Mello faz um balanço do primeiro ano de mandato de seu colega na presidência do Supremo, que é mais importante do que todos e de cada um de seus ministros .

Apoiaram o pronunciamento do decano, com breves adjetivações das realizações de Gilmar Mendes, os ministros Menezes Direito, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Eros Grau ( Vossa Excelência honra esta Corte ), Ayres Britto e Ellen Gracie. O ministro Marco Aurélio ficou calado. O advogado-geral da União, José Antonio Toffoli, também aderiu aos elogios feitos ao presidente do STF, assim como o advogado Alberto Toron, que falou em nome da Ordem dos Advogados do Brasil. O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza que partricipa das sessões plenárias - foi outro que não se manifestou. O ministro Gilmar Mendes agradeceu, afirmando: Este não é o trabalho de um homem só. Devemos a construção e a consolidação do Estado de direito e o banimento do Estado policial à atuação firme do STF .