Para Tarso, síndrome do grampo é justificável

Portal Terra

BRASÍLIA - Em audiência pública nesta terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que é justificável o medo de interceptações telefônicas. Para o ministro, como o país ainda não possui regras claras que proíbam a venda de equipamentos capazes de realizar grampos ilegais, o controle desse tipo de prática passa a ser difícil de ser feito e, por esta razão, fica essa sensação constante de estar sendo grampeado.

- Temos consciência da síndrome da gravação no Ppaís. Ela é justificável tendo em vista que não há regras para compra de equipamentos, então, teoricamente qualquer um pode comprar - disse.

O diretor geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, ressaltou a importância de fazer a distinção entre a escuta legal e a ilegal. Segundo o diretor, dos 150 mil inquéritos abertos pela Polícia Federal, apenas 3% faz uso de escutas. - Não produzimos espionagem, produzimos provas. Eu, inclusive, defendo um maior controle, porque quem trabalha dentro da lei não tem medo de controle - afirmou.