Gripe suína: Brasil ainda sem casos da doença

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde confirmou que 20 pessoas estavam sendo monitoradas, até terça-feira, depois de apresentarem sintomas da gripe suína no Brasil. De acordo com o órgão, ainda não há confirmação de qualquer caso no país, e as pessoas som observação ainda não são consideradas suspeitas de portarem a doença de acordo com critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para que um caso seja considerado suspeito, é preciso que a pessoa apresente todos os sintomas da doença febre de pelo menos 38ºC, acompanhada de tosse, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, além de desconforto respiratório e que tenha retornado dos países afetados recentemente.

Segundo o ministério, o número de pessoas monitoradas chegou a 22. Porém, o estado de São Paulo descartou o diagnóstico de gripe suína em duas delas. Ao menos oito estados têm registro de casos em observação: três pessoas no Amazonas, duas na Bahia, três em Minas, uma no Pará, quatro no Paraná, duas no Rio, duas no Rio Grande do Norte e três em Santa Catarina.

Um dos casos monitorados é o de um homem de 40 anos que retornou recentemente de uma viagem aos Estados Unidos. Na segunda-feira, ele foi internado em um hospital em Salvador (BA) com sintomas da gripe suína.

Minas e Espírito Santo

Já em Minas, três pessoas foram internadas após apresentarem sintomas da doença. Dentre elas, há um casal que passou a lua de mel em Cancún, no México, e um empresário vindo dos Estados Unidos. Todos permanecem internados em uma ala isolada do Hospital das Clínicas, em Belo Horizonte.

Um brasileiro de 32 anos que desembarcou sábado no Brasil após uma viagem aos Estados Unidos é o primeiro a apresentar os sintomas da gripe suína no Espírito Santo, de acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde. Morador de Vila Velha, o homem passou 12 dias em Nova York e, no último dia 18, chegou a ser atendido em um hospital norte-americano depois de apresentar os sintomas da doença. Terça-feira, ele foi atendido no Vitória Apart Hospital, mas não precisou ficar internado pois, segundo a secretaria, não apresentava mais qualquer indício de estar com a gripe suína. Uma coleta de secreção do paciente foi enviada para análise laboratorial na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio, e o resultado do exame deve ficar pronto até quinta-feira.

No Paraná, um dos casos suspeitos é o de uma mulher de 53 anos que chegou do México no início do mês de abril. Segundo a Secretaria de Saúde, ela está internada num hospital da capital em isolamento. Material da paciente também foi encaminhado para exames no laboratório Fiocruz. O resultado deve ser divulgado até o fim da próxima semana. Os outros três casos suspeitos já foram descartados pela secretaria por critérios clínicos e epidemiológicos.

Procurado, o Ministério da Saúde informou que ainda não foi informado das novas suspeitas nem dos casos em que a contaminação foi descartada e manteve o número de 20 pessoas que estariam sob observação no Brasil após apresentarem os sintomas da doença. De acordo com órgão, entretanto, ainda não há confirmação de qualquer caso no Brasil, e os casos monitorados ainda não são considerados suspeitos pelos critérios da OMS.

Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou terça-feira o que chamou de terrorismo em relação ao risco de contaminação da gripe suína no Brasil. O presidente reafirmou que o país tem remédios para combater a doença e disse que não se pode ficar vendendo pânico .

Eu acho que este é um momento de cautela, um momento de prevenção e não de se fazer terrorismo com uma coisa que não chegou aqui disse Lula. O que a gente não pode é ficar vendendo pânico, porque de repente cria-se um problema onde não existe.

Lula voltou a dizer que o Brasil está preparado para combater a doença. O Brasil está preparado. Nós temos remédio para atender as pessoas. Vamos fazer fiscalização rígida nos aeroportos, para que a gente evite que essa doença chegue ao Brasil. (Com agências)