Deputado usa verba indenizatória para pagar advogado no TSE

Portal Terra

BRASÍLIA - A verba indenizatória da Câmara foi usada pelo deputado Geraldo Resende (PMDB-MS) para pagar advogados que trabalharam na sua defesa em um processo de cassação de mandato no Tribunal Superior Eleitoral, segundo informou o jornal Folha de S.Paulo, desta terça-feira.

O deputado foi acusado pelo PPS de infidelidade partidária, mas foi absolvido pelo TSE. A assessoria técnica da Câmara de Deputados informou à Folha que a verba indenizatória só poderia ser usada para pagar advogados que atuassem em atividades relativas ao exercício parlamentar.

Segundo o jornal, o escritório do advogado Paulo Junges recebeu R$ 2,9 mil do gabinete do deputado. Outros pagamentos que totalizaram R$ 20,3 mil foram efetuados sem a especificação do nome do escritório.

O deputado admitiu que pagou o escritório com verba indenizatória, mas negou que tenha cometido alguma irregularidade. - Ele faz todo tipo de consultoria para mim, ajuda na elaboração de projetos e me defende nas causas que precisam ser defendidas. Ele acompanha junto com outro advogado as causas a que tenho que responder - disse Resende ao jornal Folha de S. Paulo.

Resende não soube informar quais foram os projetos elaborados com a ajuda do advogado e disse que Junges acompanhou a causa no TSE dando sugestões.